Picture

 

Estética

Picture
ESTRIAS    
       
    Picture Tratamento de Estrias

__________PROCEDIMENTO

 

_________Após o acoplamento do eletrodo passivo à pele e o eletrodo ativo à uma agulha específica, inicía-se a introdução da agulha sub-epidérmica, paralela à pele, superficialmente sobre toda a extensão da estria.

_________Após o tratamento, observa-se estrias mais visíveis, edemaciadas e hiperêmicas. O tratamento deve ser realizado uma sessão por semana, visto que o processo inflamatório dura aproximadamente 5 dias.

_________Os primeiros sinais de regeneração de estrias são: 1- o nivelamento da estria em relação à pele normal; 2- alteração de coloração; 3- aumento da sensibilidade dolorosa e por fim; 4- o desaparecimento da estria.

ENTENDA O PROCESSO INFLAMATÓRIO

CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS - PROCESSO INFLAMATÓRIO
A substituição por tecido fibroso se faz graças ao tecido de granulação. Este é muito importante, pois precede a cicatrização ou cura e é constituído de numerosos vasos capilares neoformados, fibroblastos, fibras colágenas e células inflamatórias como neutrófilos, linfócitos, plasmócitos e macrófagos.
A principal função do tecido de granulação é propiciar o reparo ou cicatrização e evitar a penetração de novos microorganismos.


INFLAMAÇÃO

" os vasos lesados contraem-se, ocorre aderência das plaquetas no local, e em seguida, a ativação da cascata de coagulação (isso limita a perda de sangue, e fornece uma matriz preliminar que estabelece a base para subseqüente processo de reparo: rede de fibrina, fibronectina, eritrócitos e leucócitos).
" ocorre acúmulo rápido de neutrófilos, que participa da eliminação das bactérias presentes e auxiliam na digestão dos resíduos liberando enzimas lisossônicas e macrófagos que têm como principal responsabilidade a limpeza da ferida, permitindo que novos vasos sanguíneos e fibroblastos entrem na área da lesão.
" a matriz preliminar de fibrina-fibronectina na ferida é eventualmente substituída por colágeno e proteoglicanas ao final do processo.

EPITELIZAÇÃO
Processo de granulação por meio do qual o coágulo inicial é convertido, primeiro em tecido de granulação e depois em tecido conjuntivo fibroso.
Na epitelização ocorre a:
" Migração: onde as células do epitélio de revestimento migram para dentro e cruzam a ferida, preenchendo o leito da lesão.
" Multiplicação: onde há proliferação e maturação das células, que migram através da ferida, resultando em formação de um novo epitélio pavimentoso estratificado.


REPARO
Ocorre a contração da ferida que serve para aproximar as margens desta. Isso ocorre em conseqüência da contração dos miofibroblastos.
A reparação é influenciada por numerosos fatores locais e sistêmicos. Fatores de crescimento promovem proliferação de fibroblastos e neovascularização. A fibronectina estimula a divisão celular e a migração de fibroblastos, macrófagos e células epiteliais.
A cura de um processo inflamatório implica em desaparecimento do exsudato, dos sinais locais e sistêmicos da inflamação e no reparo de células e tecidos necróticos. O reparo envolve dois processos distintos: regeneração e substituição por tecido fibroso (cicatrização).

 

 

REFERENCIA BIBLIOGRÁFICA

CARVALHO, P.; Estudo da cicatrização de feridas cutâneas; Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP, 2005.